Voltar
27 ago. 2021
Gestão de Projetos

Em parceria com a FUNPAR, Guarapuava pode ter energia solar em prédios públicos

A FUNPAR se reuniu nesta semana com representantes da cidade de Guarapuava para dar seguimento às tratativas da Parceria Público Privada da Iluminação Pública (PPP) do município. Participaram do encontro, o Diretor de Programas da Fundação, Luiz Fragomeni; o consultor da FUNPAR em Eficiência Energética, Claudio Dantas; o prefeito de Guarapuava, Celso Góes; o secretário de Planejamento e Urbanismo, Paulo Dirceu; e o secretário de Habitação, Fernando Damiani.

O objetivo da parceria, é viabilizar a instalação de um sistema fotovoltaico será instalado nos prédios públicos do município. A expectativa, é que em cerca de um ano será possível utilizar energia renovável com economia de recursos. Segundo o Diretor de Programas da FUNPAR, Luiz Fragomeni, é inevitável que num futuro próximo, com todos estes avanços o município de Guarapuava seja conhecido como a “Capital do interior do Paraná”, uma vez que a cidade se destaca pelos investimentos em tecnologia e desenvolvimento sustentável.

Para o prefeito Celso Góes, a parceria com a FUNPAR é uma consequência da modernização que o município vive nos últimos anos. “É um momento único e precisamos seguir dando estes exemplos, nos consolidando cada vez mais”, afirma o prefeito.

Painéis solares

Incialmente as bases de captação da energia devem ser instaladas em prédios públicos como o Paço Municipal, escolas, Unidades de Pronto Atendimento, Unidades Básicas de Saúde, rodoviária, quadras esportivas, entre outros locais públicos.

O objetivo é que os prédios produzam boa parte da energia consumida. A eletricidade excedente será direcionada para a iluminação pública. O projeto também prevê a análise e a busca da eficiência energética, por isso, as instalações de cada lâmpada, tomada ou ar condicionado devem ser revisadas.

A instalação do sistema fotovoltaico também é um projeto no formato de Parceria Público Privada (PPP) e passará por outras fases. O consultor da FUNPAR em Eficiência Energética, Claudio Dantas, explica que o processo ainda precisa esgotar três fases até ser implantado: primeira apresentação do caderno de engenhari; na sequência, a conclusão do caderno do estudo econômico/financeiro e, finalmente, o caderno jurídico.

Segundo o secretário de Planejamento e Urbanismo, Paulo Dirceu, que também acompanhou a reunião, essa parceria deve escrever uma nova história de modernidade de Guarapuava. “De início vamos concentrar a captação nos prédios públicos, com retorno para a Iluminação pública, o que geraria uma economia muito grande ao município. Quem sabe, mais à frente, a gente possa estender este serviço a cidade toda, mas isso ainda não faz parte desta etapa de implantação”, finalizou. A expectativa é que a implantação ocorra já no início de 2022.

O secretário de Habitação, Fernando Damiani, também conheceu a proposta e enfatizou a importância do projeto para o desenvolvimento município e melhor aproveitamento dos recursos.

Com informação da Prefeitura de Guarapuava.